Insira o código de rastreamento abaixo:

Greve dos Correios e a instabilidade que o persegue há quase um mês

Greve CorreiosA greve dos Correios já dura um mês e a situação parece que está longe de acabar! Se já não bastassem os problemas enfrentados com a crise imposta pelo coronavírus. O Correios pioraram a situação de empresas que trabalham com a venda de produtos online.

As reclamações dos atrasos na entrega e na falta de cuidado com as encomendas só aumentam cada dia que passa. Para se ter uma ideia as reclamações contra os serviços do Correios aumentaram em cerca de 64% segundo a Secretária Nacional do Consumidor a Senacon. Assim, em números segundo o levantamento realizado pelos Procons, as reclamações contra os Correios chegam a 6 mil apenas no mês de agosto.

Entretanto, a greve se acumula a um aumento na quantidade de mercadorias sendo transportadas devido à pandemia e ao aumento das vendas nos comércios eletrônicos. Sem falar que o atraso, na entrega acabou gerando filas nas agências em busca de informações ou para retirada do objeto.

Caso você esteja precisando de informações sobre sua encomenda, recomendamos acessar aqui para saber qual é o status do seu pacote. Aliás, se você está tendo problemas com sua encomenda, você pode ir até Procon ou entrar em contato com os Correios através do site Fale com os correios, ou pelos telefones 3003-0100 e 0800 725 0100.

 

 Com está o andamento da greve dos Correios? Tem prazo para acabar?

Primeiramente é importante lembrar que os profissionais que aderiram à greve, estão relacionados a operação. Esses profissionais se encontram nos centros de distribuição. Mas nem todos os centros de distribuição estão sofrendo com atrasos com as operações.

Na maioria dos casos, as agências continuam funcionando normalmente, mas como o centro de distribuição não separar e não enviam as encomendas as agências não recebem.

A porcentagem de funcionários que estão em greve, se limitam a 30% devido a uma determinação judicial. Segundo os Correios eles têm tentado manter o serviço através de mutirões que estão acontecendo nos feriados e finais de semana.

A princípio na segunda, dia 21 é para que o impasse seja resolvido no Tribunal Superior do Trabalho, nessa data será julgada as reclamações realizadas pelos trabalhadores. Segundo a Fentect, a Federação Nacionais dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telegráfos. Os trabalhadores reclamam da redução dos benefícios e da renda, que chegou a 40% no início de agosto.

Contudo, as reduções que os funcionários reclamam é a retirada de 30% do adicional de risco. Redução da licença maternidade de 180 dias para 120 e a retirada do auxílio para pais que tem filhos portadores de necessidades especiais.

O impasse está que a empresa rebate que as exigências dos sindicatos não condizem com a realidade do país. Outro motivo dessa redução dos benefícios dos trabalhadores é a economia de R$ 800 milhões anualmente. Esse valor seria destinado para recuperar o prejuízo que a antiga administração deixou nos Correios. Essa dívida da gestão passada atualmente se encontra em R$ 2,4 bilhões de reais!

 

O Correios poderá ser privatizados em 2020

Vale lembrar que o Correios é uma empresa que pode gerar lucros significativos quando bem administrada. Para se ter uma ideia, no ano de 2018 a agência acumulou um lucro de cerca de R$ 161 milhões!

O Correios têm um potencial de crescimento logístico muito grande! Já que cada dia mais o comércio eletrônico tende a crescer.

Assim, para resolver os problemas acumulados pelos Correios e as greves constantes, o Governo Federal está avaliando a possibilidade da privatização da empresa. E gigantes do mercado de logística estão de olho na empresa, entre eles a Magazine Luiza, FedEx e Amazon!

Por fim, temos que aguardar para ver se na segunda um acordo é fechado e os funcionários possam voltar ao trabalho acabando com a greve dos Correios.

Nenhum comentário - Seja o primeiro!

Deixe o seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios devem ser preenchidos.

O site RastreioCorreios.com.br é apenas um serviço de rastreamento de encomendas e não tem nenhum vínculo com o (Correios / Correios.com.br)